JOGO 03
Entre Amigos ENTRE AMIGOS

0

:

1

13 DE MAIO Nem Ligo

19/10/2015 | 14:00 | Furadinho


Pecado

Legendários levou a melhor na Arena na tarde de sábado.
Foto: Laine Battisti

NOTÍCIA | 21/03/2016 | POR: THYAGO PACHECO
EA faz apresentação impecável, mas gol chorado dá a vitória ao 13 de Maio.

Os Deuses não vestiram vermelho e branco no último sábado. Talvez essa expressão de ironia sirva exatamente para descrever a expressão no rosto dos torcedores do EA ao deixar a Arena. O misto de decepção, euforia, lamento e satisfação foram provocados pela excelente apresentação do seu time que, infelizmente, foi "premiada" com uma derrota.

A Arena estava lotada, pois já se esperava um confronto de alto nível entre as equipes. Um adversário conhecidamente duro e técnico contra o EA que talvez viva sua melhor fase nos últimos anos, marcada principalmente pela nova filosofia de jogo.

Desde o primeiro minuto o que se viu foram duas equipes cautelosas, estudando-se mutuamente e medindo o nível de risco. Os desfalques prejudicaram igualmente os dois lados, mas não o suficiente para tirar a qualidade dos lances e as jogadas de tirar o fôlego. O 13 de Maio teve pelo menos duas chances claras de gol desperdiçadas por seus atacantes cara a cara com Luciano. O EA não ficou por baixo e só no primeiro tempo teve no mínimo três chances dentro da área adversária. Mas a partida foi para o intervalo empatada sem gols.

Na volta para o segundo tempo, os jogadores revelaram que a tônica da conversa no vestiário foi justamente o perigo que o jogo oferecia. Acreditava-se em uma vitória por poucos gols, e para alguns atletas do 13 de Maio, o empate nem poderia ser considerado mau resultado.

- Sempre entramos em campo para vencer. Mas não podemos nunca desmerecer a conquista de um ponto fora de casa. - declarou Lê, capitão do 13.

No segundo tempo, a necessidade de buscar o resultado fez as equipes se arriscarem um pouco mais. Em consequência disso, as chances foram se multiplicando na mesma medida que os nervos dos torcedores iam se dilacerando em meio a tensão. O EA era quem protagonizava os lances mais contundentes. Renê, Nino, Lê Cunha e principalmente Lê Passos tiveram excelentes chances. Chances essas aliás, que raramente são desperdiçadas por esses jogadores. Mas, quando não era o goleiro do 13 com intervenções espetaculares, era a sorte que parecia não estar ao lado do time da casa.

Sorte...ah, a sorte. Ela resolveu dar mais um indício de que havia escolhido um lado para torcer naquele sábado. Quando o 13 deu um chutão para afastar um lance de perigo e a bola veio na direção de Willian, o EA já corria se posicionando para o contra-ataque. Mas, em um daqueles lances para se esquecer, o camisa 6 errou o chute e o atacante saiu cara a cara com Luciano, que ainda chegou a tocar na bola, que vagarosamente correu o pouco espaço de grama restante que delimitava a esperança e a frustração alvi-rubra. Estava feito, 1 a 0 para o time visitante.

Os minutos finais foram de pura adrenalina. O EA partiu com tudo para cima do 13 que se defendia como podia, lutando contra o cansaço e também a superioridade numérica. Isso porque seu atleta foi expulso apois dois lances de falta seguidos, deixando o time com jogador um a menos até o fim do jogo. Mas nem isso foi suficiente para impedir a derrota, que definitivamente, não foi merecida.

Buscando superar o revés, o EA concentra suas atenções no jogo do próximo sábado, diante do Cruz e Souza. O confronto tem início marcado para às 14 horas e o EA espera casa cheia para ajudar a superar o desafio.



FICHA TÉCNICA