JOGO 34
Praiasol B PRAIASOL B

2

:

2

ENTRE AMIGOS Entre Amigos

22/10/2016 | 14:00 | Furadinho



Igualdade nas pontas

União do time do EA foi essencial para o resultado.
Foto: Thyago Pacheco

NOTÍCIA | 31/10/2016 | POR: THYAGO PACHECO
Em confronto do líder contra o lanterna, um empate com gosto duvidoso para as duas equipes.

Um resultado "indecifrável". Talvez seja o que se pode resumir do confronto entre EA e Praiasol, que aconteceu no último sábado. O jogo, arranjado de última hora por conta do péssimo estado da Arena Furadinho, tinha um clima de humilhação antes dos times entrarem em campo. Porém, ao final, ficou bem claro o porquê do futebol ser um dos esportes mais fascinantes do mundo.

Tudo pesava contra o EA. Um jogo de última hora contra o líder da tabela, com um time bastante desfalcado e fora de casa. Parecia que nada poderia ficar pior. Mas ficou, quando a notícia de que o goleiro Juninho não iria a campo devido a problemas particulares que o fizeram deixar a delegação ainda no hotel, antes do embarque. Chamado de última hora, o substituto foi Geovane, goleiro que fez sua primeira partida com a camisa do clube. Na defesa o time ainda sofria com as ausências de Marlon, Carlinhos e Patrick, além do meia Nino.

Se todos esses fatos já seriam conteúdo suficiente para uma bela trama de tragédia, tudo ganhou ares de desespero quando o próprio goleiro Geovane, lesionado, precisou deixar o campo. Luciano precisou retornar ao gol e o então meia Diego foi improvisado na zaga.

O que talvez nem o EA esperava é que a mudança daria ao time a solidez que faltava até então. Aos poucos o EA foi ganhando terreno e aumentando o volume de jogo, chegando por muitas vezes a pressionar o Praiasol dentro do seu próprio campo e criando boas chances. Até que depois de uma linda jogada individual, Lê Passos tocou para dentro da área. No bate rebate a bola sobrou para Vinícius, que com um chute forte abriu o placar.

O gol mexeu com os nervos dos jogadores do Praiasol que passaram a discutir bastante entre si e pressionar a arbitragem, que infelizmente parecia só ouvir as reclamações dos jogadores do time visitante. Diego e Lê Passos foram advertidos com cartão amarelo após reclamarem de lances isolados.

Mesmo com a certa imparcialidade do trio de arbitragem, o EA jogava melhor. Com Lê Passos jogando mais recuado o time tinha mais poder de marcação e velocidade nas saídas de bola. Vinícius puxava bem os contra-ataques enquanto Renê e Thyago brigavam por cada pedaço de chão com os truculentos zagueiros do time azul.

A situação do EA piorou - de novo - quando Betinho, ao correr para tentar um desarme, torceu o joelho e precisou sair carregado de campo. Sem mais opções no banco de reservas, a alternativa foi improvisar o atacante Huérique no setor. Acabou funcionando bem e o time ganhou uma qualidade ainda maior na saída de bola, apesar de perder na marcação.

Já no segundo tempo, os ânimos continuaram exaltados dos dois lados. Porém o EA se mostrou mais ligado e em um rápido contra ataque, Vinícius recebeu no meio de campo, arrancou driblando três marcadores antes de tocar com sutileza na saída do goleiro. Uma vantagem pra lá de excelente para o azarão da tarde.

Com o decorrer da partida, o Praiasol foi perdendo a esportiva com a desvantagem e chegou a apelar para algumas faltas duras, que acabaram não sendo punidas pelo árbitro com cartão amarelo. A indignação com a arbitragem aliado ao enorme desgaste dos jogadores acabou permitindo ao Praiasol ganhar terreno e chegar ao gol. Após chute forte de longe, Luciano espalmou mal e não conseguiu chegar para recuperar o rebote. O atacante do Praiasol foi mais rápido e tocou para trás, de onde vinha um companheiro livre para tocar para o fundo do gol e empatar a partida.

Menos de 10 minutos depois, novamente em chute de longe, o Praiasol contou com a falha de Luciano, que foi mal na bola, para empatar a partida. O gol foi como um balde de água fria no EA, que acabou não tendo mais forças para buscar o gol. Preocupado em não sofrer a virada, o time concentrou suas atenções na defesa e conseguiu garantir o empate. O difícil foi explicar, afinal, que gosto tinha esse resultado. Nas duas equipes, as opiniões eram variadas.

- Foi um ótimo resultado. Fora de casa, com o time todo desfigurado, empatamos com o líder do campeonato. Parabéns a esses guerreiros que deixaram suas almas nesse gramado hoje! - exclamou o volante Betão.

Já para o atacante Lê Passos, o resultado poderia ser melhor.

- Tiveram foi sorte, isso sim. Com uma bela pitada de ajuda da arbitragem. Nos menosprezaram por conta dos números da tabela, mas precisaram de bastante esforço e falhas nossas para arrancarem um empate. Pra mim esse jogo de hoje tem gosto de derrota. Fomos muito superiores. Se jogássemos assim o ano todo nossa situação estaria bem diferente. - afirmou.

A arrancada do EA terá um novo capítulo no próximo sábado, quando o time receberá o União Serrinha, em um jogo que promete fortes emoções. Será na Arena, às 14 horas.



Giovane | GOL 6,0
Pouco acionado enquanto esteve em campo.
Adson | LAD 9,0
Sério, discreto e eficiente. Sue melhor partida no ano pelo EA.
Luciano | ZAD/GOL 5,5
Atuou na linha e no gol. Na linha vinha jogando com seriedade e sem dar muitos espaços. No gol, apesar de duas belas defesas, falhou nos lances que geraram os gols do adversário.
Betão | ZAE 9,0
Um leão em campo. Jogou com total seriedade e não deixou os adversários sequer respirarem sem vê-lo grudado no seu cangote.
Betinho | LAE 5,5
Vinha fazendo uma partida razoável até que se lesionou seriamente e precisou sair de campo ainda no primeiro tempo.
Deyvson | VOL 9,5
Incansável, arisco e muito veloz. Não deu espaços para os adversários e também foi essencial na comunicação, liderando o time em campo.
Lê Passos | VOL 9,0
Se adapta facilmente em qualquer posição, pelo seu jeito aguerrido e batalhador. Foi impecável como volante e ajudou a dar a força que o time precisava no setor.
Diego B. | MED 9,5
Sem dúvida um dos melhores jogadores em campo. Apesar de jogar a maior parte do tempo fora de posição, foi perfeito em todas as vezes que tocou na bola.
Lê Cunha | MEE 8,5
Nunca foi visto correndo e marcando tanto quanto nessa partida. Se jogar sempre com esse espírito, tem tudo para se tornar um dos grandes destaques do elenco.
Thyago | ATA 7,0
Tentou abrir espaços deslocando os zagueiros adversários para fora da área. Deu certo na jogada que originou o primeiro gol do EA, quando atrapalhou o zagueiro que deveria fazer a cobertura do lance.
Renê | ATA 7,5
Muito bem marcado, lutou o tempo todo e teve pelo menos uma boa chance de marcar, vendo seu chute sair por um triz.
Huérique | LAE 7,5
Improvisado na lateral, mostrou segurança e personalidade. Não se escondeu do jogo e foi muito bem na saída de bola.
Vini | ATA 9,0
Decidiu o jogo com seus gols. Foi essencial nas puxadas de contra ataque.