JOGO 39
Entre Amigos ENTRE AMIGOS

0

:

6

AMIGOS DA PONTE Amigos da Ponte

03/12/2016 | 14:00 | Furadinho



Final amargo

Goleada de 6 a 0 foi inexplicável.
Foto: Thyago Pacheco

NOTÍCIA | 05/12/2016 | POR: THYAGO PACHECO
EA encerra temporada com uma indigesta goleada e já pensa nas mudanças para 2017.

Se a intenção era terminar com a melhor impressão possível, não deu certo. No último jogo do ano o EA acabou sendo superado e da pior forma. Uma sonora goleada por 6 a 0 sofrida pelo Amigos da Ponte em um jogo onde o alvi rubro praticamente não viu a cor da bola. Como reflexão, fica a necessidade urgente de mudanças em todos os setores para que em 2017 os resultados sejam diferentes.

O primeiro problema que precisa ser cuidadosamente visto no EA é com relação ao elenco. O grande problema da falta de peças foi novamente sentido na última rodada. Um time completamente desfigurado, com um número enorme de improvisações que impedem o time de manter uma consistência e impor volume de jogo. Jogadores importantes como Nino, Deyvson e Marlon participaram de menos de 70% dos jogos do time na temporada, por exemplo.

Percebe-se ainda a grande distância que existe entre a diretoria e jogadores, que acaba criando um ambiente longe do que pode ser considerado ideal. Alguns membros da diretoria mal aparecem nos compromissos do clube e isso acaba refletindo negativamente no clima entre os próprios membros da diretoria e consequentemente, dentro de campo.

Uma coisa não pode e certamente não irá mudar: a imensa importância que o EA tem para as muitas famílias que acompanham o time. E é justamente com base nesse carinho e na história gloriosa do clube, que deverão ser encontradas as forças necessárias para o ressurgimento triunfal do alvi rubro mais querido da várzea catarinense.



Geovane | GOL 5,5
Não conseguiu ser decisivo para evitar a goleada. Porém não pode ser responsabilizado em um jogo onde nada no EA funcionou.
Tiozinho | LAD 6,5
Novamente atuando com lucidez e inteligência. Foi traído por uma lesão que o obrigou a deixar o campo antes do fim da partida.
Carlinhos | ZAD 6,5
Lutou muito, mas não conseguiu segurar o ímpeto do adversário, que usou principalmente da velocidade para lhe superar.
Marlon | ZAE 7,0
Um dos poucos que se destacou positivamente, foi firme e preciso nas intervenções. Porém é complicado estar com falta de ritmo no último jogo do ano. Precisa aprimorar a parte física com urgência.
Adson | LAE 5,0
Não conseguiu conter as subidas adversárias e conscientemente, pediu para ser substituído ainda no início do primeiro tempo.
Deyvson | VOL 7,0
Não conseguiu produzir o volume de jogo que é sua principal característica. Preso na marcação, sofreu junto com o time para anular os ataques do adversário.
Lê Passos | VOL 6,5
Apagado, não conseguiu imprimir a velocidade e causar problemas ao adversário.
Deio | MED 5,5
Não produz bem quando fica encarregado de correr atrás do adversário. Ainda assim errou passes relativamente fáceis e não conseguiu armar jogadas.
Lê Cunha | MEE 6,0
Ajudou muito na marcação, mas deixou o time carente da sua atuação como homem de ligação.
Thyago | ATA 5,0
Se movimentou e tentou abrir espaços, mas não teve vida fácil diante da defesa bem armada do adversário.
Renê | ATA 6,0
Voluntarioso, tentou de todas as formas quebrar a defesa adversária, mas não teve sucesso.
Huérique | LAE 6,0
Entrou com a missão de dar mais velocidade e leveza ao time, mas não conseguiu criar nenhuma jogada de real perigo.
Nino | MED 7,0
Entrou em campo ainda no primeiro tempo e foi o jogador que mais lutou. Fez e sofreu muitas faltas, mas sentiu a falta de ritmo.
Betinho | LAD N/A
Não jogou.