Mereço crédito!

Betinho desabafou após atuação impecável.
Foto: Arquivo

ESPECIAL | 11/09/2016 | POR: THYAGO PACHECO
Com história marcante no EA, Betinho mostra firmeza ao exigir seu espaço no EA.

O EA é um clube que se orgulha muito das histórias de vida que carrega ao longo de sua existência. Cada pessoa que passa pelo clube deixa um legado, que vai se entrelaçando com própria história do clube, construindo um enredo lindo, marcado por suor, lágrimas e sorrisos. Dentro dessa enciclopédia histórica, certamente as mais marcantes são aquelas onde as pessoas iniciam sua trajetória justamente dentro do clube. Esse é o caso de Betinho. O lateral direito, que descobriu a posição, os fundamentos e o amor pelo esporte com a camisa do EA.

Início de 2009. Um grupo de jogadores se reunia em Tijuquinhas, região próxima a Biguaçu, para dar talvez o passo mais importante na história do EA. Naquela tarde ensolarada, mais de 20 pessoas se apresentaram para formar o grupo que esse ano completa 8 anos de existência. Logicamente não era um grupo homogêneo e muitos testes foram feitos. Mas o fato em destaque era a presença de um atleta em específico. Betinho, que pela primeira vez iria calçar uma chuteira e jogar futebol de campo, precisou de paciência para mostrar que merecia continuar. Como a quantidade de jogadores era enorme, sendo inclusive maior do que a quantidade de uniformes disponível, Betinho precisou revezar uma camisa com outro atleta, além de só conseguir entrar em campo nos 5 minutos finais. Não precisou muito para o jogador mostrar algo que se tornaria a essência do EA dali pra frente: empatia.

Com um estilo "gente boa", Betinho conquistou a amizade de todos com muita rapidez e se integrou naturalmente ao grupo que aos poucos foi diminuindo, sofrendo ajustes até se tornar de fato um time e buscar as vitórias. Fato esse, lembrado pelo jogador com muito bom humor.

- Olha, demorou até a gente saber o que era vencer um jogo (risos). O início era mais do tipo: "vamos perder de quanto hoje?". Mas sempre foi incrível, cada momento. É muito bacana ver que tudo aquilo nos trouxe até aqui e que as coisas hoje caminham bem melhor. - declarou.

Mas a vida no EA não ficaria fácil para Betinho a partir dali. O jogador precisou de bastante tempo para se encaixar na posição e entender os segredos da lateral direita. Em consequência disso, alguns momentos de cobrança, que para o jogador é algo normal desde que também se saiba valorizar os acertos.

- Claro que a crítica deve ser aceita. Isso nos ajuda a não relaxar, a buscar melhorar sempre. Porém o incentivo é tão importante quanto. Se sabe criticar, tem que saber enaltecer também. Tudo é válido desde que feito com respeito e justiça. E é por isso que eu luto aqui. Eu estou desde o início dando o meu máximo para ajudar a construir essa história. Mereço crédito por isso. Se eu tiver que ser cobrado, aceitarei. Mas nunca se esqueçam que eu também acerto e que mereço ser elogiado por isso. Não apenas eu, mas qualquer profissional em sua área. - declarou o jogador em tom de desabafo, após o jogo contra o Atlético Alto Aririu, quando o jogador fez ótima partida e teve seu nome gritado nas arquibancadas.